Egresso do UNI-RN realiza palestra de âmbito internacional - Centro Universitário do Rio Grande do Norte - UNI-RN
  • ACESSIBILIDADE:
  • Aumentar Fonte
  • Tamanho original
  • Diminuir Fonte
  • Contraste

08.02.2019

Egresso do UNI-RN realiza palestra de âmbito internacional

Uma boa graduação seguida de pós-graduação, mestrado e doutorado. Essa foi a trajetória do Leônidas Oliveira, egresso do UNI-RN e atualmente docente da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Como isso aconteceu? Por meio de uma base sólida educacional, e de iniciação a docência.

Leônidas ingressou no curso de fisioterapia do UNI-RN em 2007. Assim que saiu da Instituição, conta, foi selecionado no processo seletivo de especialização em Neurorreabilitação e, logo em seguida, no mestrado acadêmico em Educação Física, simultaneamente enquanto trabalhava como fisioterapeuta de um clube de futebol.  

“No ano de 2014 ingressei no doutorado em Saúde Coletiva. Também participei como pesquisador em um projeto do Ministério do Desenvolvimento Social e combate a Fome, e comecei a ministrar palestras na área de Estudo do Movimento em algumas cidades pelo Brasil”, conta.

Foi a partir desse projeto que Leônidas deu início a um ciclo de palestras  sobre suas pesquisa nas áreas de fisioterapia e educação física, que o levaram as cidades de Cuernavaca e de Oaxaca, no México.

Além das palestras, o professor que atualmente é coordenador do Grupo de Estudos em Biomecânica (Gebio) e da Pós-graduação em Fisiologia do Exercício na UFRN, recentemente publicou o livro Saúde do Idoso, no qual fala sobre o olhar do profissional da educação física para com o público sênior.

Ao falar sobre sua carreira, Leônidas cita sua passagem pelo UNI-RN, como sendo um fator estrutural para sua vida acadêmica e profissional.

“No UNI-RN fui monitor, aluno de iniciação científica, participei na organização de eventos institucionais. Muitas das experiências que vivi aí foram responsáveis por moldar muitas características, pessoal e profissional, que carrego até hoje. Sempre recebi estímulo dos professores que me ajudaram neste processo, como o professor André Davim”, relembra.

SIM, OBRIGADO!