Análise Estrutural do Estádio Leonardo Nogueira - Centro Universitário do Rio Grande do Norte - UNI-RN
  • Home
  • Núcleos
  • Análise Estrutural do Estádio Leonardo Nogueira

Análise Estrutural do Estádio Leonardo Nogueira

ANÁLISE ESTRUTURAL DO ESTÁDIO LEONARDO NOGUEIRA

1-INTRODUÇÃO

O Estádio Leonardo Nogueira, localizado na cidade de Mossoró- Rio Grande do Norte, com mais de quarenta anos de vida, nunca passou por nenhuma intervenção de reparo em suas estruturas. Há cinco anos, ocorreu uma “reforma” que demoliu boa parte das arquibancadas, em função do avançado estado de corrosão de suas armaduras, construindo novas arquibancadas em concreto armado. O grande problema é que estas arquibancadas novas criadas, se apóiam em pilares e vigas que apresentam grande corrosão em suas armaduras com perda de seção e que não foram recuperadas, nem reforçadas. Além disto o restante da área do Estádio apresenta grande corrosão em pilares,vigas,lajes e arquibancadas, bem como, infiltrações generalizadas por falta de drenagem apropriada e inexistência de impermeabilização dentre outras patologias. Esta corrosão existente nas armaduras se deve principalmente ao pequeno recobrimento das armaduras, elevada porosidade do concreto e a presença de íons cloretos na estrutura advindos dos materiais utilizados na construção(areia e água). O Estádio Leonardo Nogueira tem capacidade para 25.000 pessoas, sendo o segundo maior estádio do Rio Grande do Norte, sendo sua estrutura composta de pilares, lajes e vigas de concreto armado, e arquibancadas de alvenaria com armaduras na parte inferior. Sendo construída há cinco anos uma estrutura metálica de cobertura na área das cadeiras especiais, com introdução de cadeiras numeradas. Atualmente o estádio passa por serviços especiais visando seu aproveitamento nas competições nacionais da CBF em 2016.

3-ANÁLISE ESTRUTURAL

Foram realizados ensaios na estrutura do Estádio, visando obter informações sobre o estado de corrosão das armaduras e das estruturas de concreto armado.

3.1-PROBABILIDADE DE CORROSÃO: Foram medidos doze pontos diferentes da estrutura(vigas,pilares e lajes), utilizando o eletrodo de Cobre/Sulfato de Cobre se baseando pela norma ASTM-C 876. Os valores deram todos acima de –350mv significando uma probabilidade de corrosão de 95% nas armaduras analisadas.(-476mv,-410mv,-452mv,-365mv,-388mv,-434mv,-412mv,-637mv,-354mv,-533mv,-456mv,-424mv)

3.2-PROFUNDIDADE DE CARBONATAÇÃO E PH DO CONCRETO: Foram medidos vários pontos da estrutura pelos indicadores fenolftaleína e lápis medidor de ph observando-se que as estruturas  apresentaram  carbonatação (coloração do concreto incolor) com profundidade de 1 à 2 cm com

3.3-TEOR DE CLORETOS: Foram feitas medidas com o nitrato de prata(aspersão) indicando presença de manchas brancas e marrons nas superfícies aspergidas,ou seja, presença de  íons cloreto nas superfícies do concreto, justificado pela confirmação de  utilização de areia e água com cl-.

4- SERVIÇOS À SEREM REALIZADOS NO ESTÁDIO

Após a análise dos resultados dos ensaios realizados descritos anteriormente e exame visual in-loco, realizou-se a definição das metodologias executivas à serem seguidas no estádio, visando sua utilização nas competições nacionais de 2016.
Os serviços foram divididos em três etapas:

4.1-SERVIÇOS PARA ADEQUAÇÃO AO ESTATUTO DO TORCEDOR

Nas arquibancadas na parte inferior e superior deve-se ser feito um alargamento para as passagens dos torcedores no primeiro e último patamar  e um  aumento substancial do guarda-corpo tanto na parte inferior como na parte superior da arquibancada com a introdução de alvenaria ao longo de todo o estádio. Os acessos à saída do estádio também deverão ser alargados com introdução de corrimões de aço e total reconstituição e padronização dos lances das escadas. Na área das cabines de rádio e cadeiras especiais deverá ser feita manutenção anual na cobertura metálica, para se evitar a propagação da corrosão em suas estruturas. Deverá ainda ser realizada uma revisão geral nas instalações elétricas,hidráulicas e de incêndio do estádio. Além destes serviços foi realizada uma nova pintura externa no estádio e uma reforma nos vestiários e cabines de imprensa.

4.2- SERVIÇOS DE RECUPERAÇÃO E REFORÇO ESTRUTURAL

Nas lajes e arquibancadas(parte inferior), devido ao intenso desgaste das armaduras com corrosão com 50 % de perda de seção, optou-se pela ancoragem de novas armaduras principais e estribos(12.5 mm e 5.0) em toda extensão das peças com adesivo estrutural com furos de 10 e 5 cm de profundidade com brocas 13 mm e 6 mm.respectivamente e aplicação de uma tela de zinco grampeada ao concreto em toda a extensão das lajes e arquibancadas anteriormente do hidrojateamento. Após o hidrojateamento de areia será aplicada a pintura anti-corrosiva de zinco nas armaduras antigas, para em seguida  projetarem camadas de concreto projetado de 3 cm de espessura e de argamassa polimérica de 1 cm. Nas vigas e pilares também devido ao intenso desgaste das armaduras com corrosão com  perda de seção quase total, optou-se pela ancoragem de novas armaduras principais e estribos(12.5 mm e 5.0) em toda extensão das peças com adesivo estrutural com furos de 10 e 5 cm de profundidade com brocas de 13 mm e 6 mm respectivamente e aplicação de uma tela de zinco grampeada nas vigas e pilares de concreto anteriormente ao hidrojateamento. Após o hidrojateamento de areia será aplicada a pintura anti-corrosiva de zinco nas armaduras antigas.  Visando o aumento de durabilidade das estruturas de concreto armado, e também pelo pequeno recobrimento existente, resolveu-se aplicar também um aumento nas seções das vigas e pilares com aplicação de concreto projetado com aditivos com  3 cm de espessura e de argamassa polimérica com 1 cm. Com aplicação da proteção catódica galvânica(tela de zinco) em todas as estruturas  e a  aplicação da argamassa polimérica a vida útil do estádio terá um significativo ganho de durabilidade. A resistência especificada para o concreto projetado foi de 30 MPa. A solução adotada com a introdução de uma  proteção galvânica com tela de zinco(proteção catódica) nas estruturas, se deve ao fato de que a  perda de seção existentes nas estruturas foi causada  principalmente pela ação dos íons cloretos. As fissuras existentes na estrutura do estádio receberão injeção de epóxi a cada 20 cm em toda sua extensão, com furos de 10 cm de profundidade com broca de diâmetro de 12.5 mm. Nos pilares e vigas dos vestiários com corrosão em suas armaduras, a não  é necessária a realização do reforço das estruturas, só a recuperação estrutural, com a realização da seguinte metodologia:remoção do concreto deteriorado,liberação das armaduras com corrosão,aplicação de hidrojateamento de areia para limpeza das armaduras, pintura anti-corrosiva de zinco nas armaduras,grauteamento das armaduras,recomposição da seção com argamassa tradicional e aplicação de uma argamassa polimérica para aumentar a durabilidade da estrutura recuperada. Vale salientar que nas áreas do estádio onde foram construídas novas arquibancadas, os serviços só precisam ser realizados nos pilares e nas vigas. E nas áreas do estádio onde não foram construídas novas arquibancadas, os serviços precisam ser realizados nas arquibancadas,pilares e vigas.

4.3-SERVIÇOS DE IMPERMEABILIZAÇÃO DAS ESTRUTURAS, TRATAMENTO DAS JUNTAS DE DILATAÇÃO E DRENAGEM

Deve-se realizar a remoção do concreto fissurado das arquibancadas e em seguida executar uma impermeabilização pela parte superior com resina de poliuretano, com execução posterior de uma proteção mecânica, com uma completa mudança e revisão da respectiva drenagem ineficiente existente(aplicação incorreta nas arquibancadas conforme documentação fotográfica). Em relação as juntas de dilatação, deve-se realizar sua abertura para limpeza com jato de ar comprimido, e em seguida realizar seu fechamento com introdução de um elastômero.

5-CONCLUSÃO

O grau de deterioração que se encontram as estruturas dos Estádios do interior das nossas capitais, que só são utilizados nos respectivos campeonatos estaduais, retratam a total falta de manutenção das respectivas prefeituras e a falta de consideração das mesmas pelos cidadãos, que podem a qualquer momento serem vítimas de um colapso estrutural, ao assistirem a um evento esportivo, sem nem imaginar o risco que estão correndo. Vale salientar que este estádio pertence a Liga Desportiva de Mossoró. Se as prefeituras não agem, imagine uma liga de futebol? A análise estrutural realizada concluiu que a intervenção de recuperação e reforço estrutural é urgente e inadiável, visando restabelecer as condições da segurança global do estádio e também de proporcionar um aumento de vida útil das estruturas de concreto armado, sem que isso retire a imperiosa necessidade de ao longo dos anos, se realizar manutenções periódicas por parte dos responsáveis pelo estádio. Em se tratando de Brasil, onde não se tem a prática de manutenções(nem preventivas,muito menos periódicas), espera-se que não se faça mais uma ação paliativa e criminosa neste estádio, como já ocorreu anteriormente e sim uma ação séria e mais duradoura, como foi proposto na análise estrutural realizada, para a concretização do desejo dos desportistas norte-rio-grandenses, que é  sua  utilização em eventos esportivos nacionais e internacionais.

Utilizamos cookies para assegurar que lhe fornecemos a melhor experiência na nossa página web.

Política de Privacidade Ver opções